Os vês pelos fês

Era uma vez um menino que trocava dos vês pelos fês e os fês pelos vês. Em vez de vazia ele escrevia fazia. A valsa era falsa. Para ir à vila ficava na fila, em vez de farinha ele trazia a varinha. Em vez da faca desenhava uma vaca. O marido da vaca era o […]

OUTRA VEZ A HISTÓRIA DE UM CAMELO

Escrevi uma vez um artigo em que perguntava “qual é coisa, qual é ela, tem duas bossas e não é um camelo?”. A resposta era dada mais à frente, justificando que era Portugal quem tinha as duas protuberâncias – Lisboa e Porto – e que na cova ficava todo o resto do País. Um território […]