MARIDO: Olha, cala-te!
MULHER: Porquê?
MARIDO: Em boca fechada não entram moscas.
MULHER: Ah! reconheces que tenho boca!
MARIDO: O que quer isso dizer?
MULHER: Se quem tem boca vai a Roma, vou fazer as malas.
MARIDO: Cala-te. Pela boca morre o peixe.
MULHER: A esperança será a última a morrer.
MARIDO: Não caio nessa… O seguro morreu de velho.
MULHER: Até já ando a aprender italiano.
MARIDO: Burro velho não aprende línguas.
MULHER: Albarda-se o burro à vontade do dono.
MARIDO: Vou pensar.
MULHER: A pensar morreu um burro.
MARIDO: Então não vou pensar.
MULHER: Eu sabia! Gato escaldado de água fria tem medo.
MARIDO: À noite, todos os gatos são pardos.
MULHER: Havemos de voltar a viajar. Água mole em pedra dura, tanto bate até que a fura.
MARIDO: Não fiando… Águas passadas não movem moinhos.
MULHER: Presunção e água benta, cada um toma a que quer.
MARIDO: Vamos antes à avenida de Roma. Mais vale um pássaro na mão…
MULHER: És um unhas de fome.
MARIDO: O habitual: sou preso por ter cão e preso por não ter.
MULHER: Cão que ladra não morde.
MARIDO: A cavalo dado, não se olha ao dente…
MULHER: À avenida de Roma??? Bem que podes tirar o cavalinho da chuva.
MARIDO: Devagar se vai ao longe.
MULHER: Até a nossa vizinha já foi a Roma.
MARIDO: Pois, pois… a galinha da vizinha é sempre melhor que a minha.
MULHER: És fuinhas como o teu pai. Filho de peixe sabe nadar.
MARIDO: Pronto!!! Então vamos.
MULHER: Agora já não quero. Quando a esmola é grande o pobre desconfia.
MARIDO: Eu sabia! Tens mais olhos que barriga.
MULHER: O pior cego é aquele que não quer ver.
MARIDO: Agora já não queres ir… A mentira tem a perna curta.
MULHER: Olha quem fala. Apanha-se mais depressa um mentiroso que um coxo.
MARIDO: Com papas e bolos se enganam os tolos.
MULHER: De boas intenções está o inferno cheio!
MARIDO: Não gosto de viajar. Pronto!
MULHER: Como, se és dono de uma agência de viagens?
MARIDO: Em casa de ferreiro…
MULHER: A ameaçar-me com um espeto de ferro?
MARIDO: Claro que não. Em casa de ferreiro espeto de pau.
MULHER: Pau que nasce torto…
MARIDO: Torto? Eu??? Quem está mal muda-se.
MULHER: A porta da rua é a serventia da casa.

(no meu artigo de 21 de janeiro de 2022, no diário As Beiras)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *